SAMU registra mais de 100 atendimentos em dia de chuva na região metropolitana

As Centrais de Regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) registraram 116 atendimentos nesta quinta-feira (24) durante as chuvas que atingiram a região metropolitana de Florianópolis.

Foram registrados sendo 22 códigos vermelhos, que representa risco de morte na linguagem técnica usada pelos profissionais do serviço. Entre os acionamentos, o SAMU atendeu vítimas de capotamento, atropelamento, colisão entre carro e moto, quedas, acidentes, trabalhos de parto e AVCs.

“Foi um dia atípico”, analisou o Socorrista do SAMU, Carlos Diego, que contou levar o dobro do tempo para o deslocamento de uma ocorrência em função das chuvas. “Precisamos nos locomover até a Palhoça, pois a Unidade Avançada de lá estava realizando um transporte do Hospital Regional para o Celso Ramos. Em dias normais, levávamos cerca de 15 minutos. Chegamos, hoje, mais de 30 minutos depois”, descreve. A vítima foi atendida, sobreviveu e foi encaminhada ao CEPON.

A Coordenadora de Enfermagem da Grande Florianópolis, Enf. Juliana Trierveiler, destacou o empenho dos profissionais e ressaltou a preparação deles para qualquer ocorrência, em qualquer situação. “Dias como o de hoje demonstram que o enfermeiro, o médico, o socorrista e o técnico de enfermagem atendem em todo lugar, a qualquer hora que for requisitado. E nosso atendimento já se inicia a partir das orientações da regulação médica”, finaliza.

O SAMU

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência foi desenvolvido pela Secretária de Estado da Saúde de Santa Catarina, em parceria com o Ministério da Saúde e Secretarias Municipais, cuja missão é regular atendimentos de urgência e emergência em toda Santa Catarina. Também é responsável pelas transferências de pacientes graves, operando tanto em ambulâncias USAs e USBs, que são Unidades de Suporte Básico e Avançadas, como também no transporte aéreo, com sua aeronave, o Arcanjo. Nas Unidades de Suporte Básico, a equipe é composta por um condutor-socorrista e um técnico em enfermagem, enquanto, nas Unidades de Suporte Avançada, a organização da ambulância é combinada por um médico, um enfermeiro e um condutor-socorrista. Ao todo, em Santa Catarina, são 23 USAs e 97 USBs.


Fonte: ASCOM/SES


Imprimir