NOTÍCIAS

SECRETÁRIA DA SAÚDE ENTREGA SETE NOVAS AMBULÂNCIAS E DUAS INCUBADORAS NO EXTREMO OESTE

Nesta quarta-feira, 10, em solenidade no aeroporto de São Miguel do Oeste, a secretária da saúde, Carmen Zanotto, entregou sete novas ambulâncias para o Extremo Oeste. Sendo cinco de Unidades de Suporte Básico (USB) para os municípios de Dionísio Cerqueira, São Miguel do Oeste, Xanxerê, Itapiranga e Maravilha. Uma ambulância da inter-hospitalar (UTI) para São Miguel do Oeste e uma ambulância (branca) para Romelândia, destinada ao transporte de pacientes pelos hospitais do município. O investimento da Secretaria de Estado da Saúde (SES) foi de R$ 3,8 milhões.

entrega Samu São Miguel do Oeste

Fotos: Ricardo Wolffenbuttel | SECOM


“Essas unidades mostram o cuidado que nós temos com a vida do catarinense, entregando ambulâncias novas para aprimorar a agilidade do atendimento da região Oeste. Também entregamos uma ambulância inter-hospitalar, que irá agilizar ainda mais o atendimento entre os hospitais, tirando a necessidade de acionar uma ambulância do SAMU que está na rua para atender essa transferência”, disse a secretária de Saúde, Carmen Zanotto.

A secretária Carmen Zanotto também anunciou mais duas ambulâncias, uma Unidade de Suporte Avançado (USA) para Concórdia e uma USB para o município de Vargem, no Planalto Serrano.

São Miguel do Oeste e Dionísio Cerqueira, no Extremo Oeste, ainda receberam uma incubadora cada um. “Estamos cada dia mais próximos da população catarinense, ampliando a oferta de serviços através de novas aeronaves, ambulâncias e entregando novos equipamentos. Isso é resultado do trabalho que realizamos no ano passado de fazer um mapeamento de todo o estado para saber a carência de cada região”, informa Marcos Antonio Fonseca, Superintendente de Urgência e Emergência.

saomiguel

ESTADO AMPLIA SERVIÇO AEROMÉDICO E TODO CATARINENSE ESTÁ A APENAS 20 MINUTOS DE UM ATENDIMENTO POR AERONAVE

O Governo do Estado está ampliando o serviço aeromédico em Santa Catarina. A partir desta quarta-feira, 10, as emergências das regiões Meio e Extremo Oeste serão atendidas por uma aeronave que terá sua base em Joaçaba. Com mais esta ação, a cobertura aeromédica do estado garante que todo catarinense está a 20 minutos de ser socorrido por uma aeronave, com atendimento rápido e de qualidade. A entrega da aeronave e de uma ambulância inter-hospitalar foi feita pelo governador Jorginho Mello e reforça os serviços de saúde na região.

O governador Jorginho Mello ressaltou que uma aeronave da saúde na região representa segurança, agilidade e atendimento de qualidade nas situações de emergência. “Não será mais preciso a aeronave sair lá de Florianópolis para atender o Oeste, mais uma vez estamos encurtando as distâncias, trazendo os serviços de saúde para perto de quem precisa. Em qualquer região do estado, todo aquele que precisar, em 20 minutos, uma aeronave com uma equipe médica estará à disposição para atender”, reforça o governador Jorginho Mello.

entrega meio oeste

Fotos: Ricardo Wolffenbuttel | SECOM

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, coronel Fabiano Bastos das Neves, ressalta a importância desse reforço para o atendimento da população, completando a cobertura do serviço aeromédico no estado. “Essa entrega representa a atenção do Governo do Estado para atender as demandas de saúde do cidadão catarinense que vai contar com atendimento mais ágil e de qualidade”, acrescenta.

A aeronave, locada pelo Estado, com equipes do serviço aeromédico do SAMU, será utilizada para atendimentos da Saúde e ficará sediada em Joaçaba para servir às duas regiões.

“É um serviço inédito para o nosso município, temos apenas que agradecer ao Governo do Estado por essa parceria”, disse o prefeito de Joaçaba, Dioclésio Ragnini.

WOLF1068

Ambulância inter-hospitalar

Para reforçar o atendimento da saúde, o governador Jorginho Mello também entregou uma ambulância inter-hospitalar para o serviço de UTI móvel, com uma equipe responsável pela transferência de pacientes de leito referenciado e de UTI, dando suporte para as ambulâncias do SAMU.

MOTOLÂNCIAS DO SAMU SERÃO IMPLANTADAS EM FLORIANÓPOLIS E CRICIÚMA

Boa notícia para a Capital e o Sul catarinense. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) aprovaram a implantação de quatro motolâncias, duas em Florianópolis e duas em Criciúma, durante reunião nesta quinta-feira, 4, na sede do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS). O próximo passo será a compra das motos e o treinamento das equipes para o serviço começar a funcionar.

Por ser uma opção ágil e eficiente, as motolâncias vão facilitar o acesso aos locais de grandes congestionamentos, além de diminuir o tempo resposta das ocorrências. Para Dionisio Medeiros, diretor de APH Móvel, as motolâncias oferecem muitas vantagens. “Temos maior mobilidade, acesso às áreas difíceis, tempo resposta mais rápido, custo operacional mais baixo devido menor consumo de combustível e manutenção mais acessível, flexibilidade em situações de emergências, como em shows, festivais ou eventos esportivos e a praticidade em dar assistência imediata”, explica ele.

moto 3

As motolâncias são pilotadas por um técnico de enfermagem, altamente treinado, para realizar o primeiro atendimento emergencial ao paciente. Elas estão equipadas com o essencial para a prestação de cuidados com a saúde, como desfibriladores, materiais para controle de hemorragias, equipamentos para suporte básico de vida e outros suprimentos médicos. As motos servem como apoio das Unidades de Suporte Básico (USB) e das de Suporte Avançado (USA).

“Ao complementar as ambulâncias tradicionais, as motolâncias dão mais chances de sobrevida, pois os profissionais trabalham em situações em que cada minuto conta, como em casos de parada cardíaca ou trauma grave”, ressalta Marcos Fonseca, superintendente de Urgência e Emergência.

As motolâncias desempenham um papel fundamental no atendimento de emergência, garantindo uma resposta rápida e eficaz a situações críticas, salvando vidas e proporcionando cuidados essenciais no momento e local da ocorrência da forma mais adequada possível.

Ampliação das motolâncias

Os secretários Municipais de Saúde que têm interesse em implantar as motolâncias, deverão efetuar o pedido através de um ofício com anuência do prefeito, para a Superintendência de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde (SUE/SES), para efetivar o processo. Antes da ampliação do serviço será realizado um estudo de viabilidade, com detalhamento técnico, para ter conhecimento se é possível realizar o serviço na localidade. Além disso, vale ressaltar que os municípios deverão ter Unidade de Suporte Básico (USB) ou Unidade de Suporte Avançado (USA) ativos para a viabilização das motolâncias.

 

Daniela Melo

Assessora de Comunicação 

SAMU Santa Catarina

SAMU TEM AUMENTO NO NÚMERO DE LIGAÇÕES E OCORRÊNCIAS ATENDIDAS DURANTE O FERIADO DE PÁSCOA

Durante o período de 28 a 31 de março de 2024, o Serviço de Atendimento de Urgência e Emergência (SAMU) registrou um aumento considerável de ligações para o número 192 e de ocorrências atendidas, em todo o estado. Este ano, foram registradas mais de 10 mil ligações, enquanto que no ano passado não passaram de 9 mil.

Já em relação às ocorrências atendidas, os relatórios registraram 4.916 em 2024, superando os atendimentos do ano passado, que foram 4.242, durante o feriado prolongado. Isso representa um acréscimo de 15,88 %. A região que mais teve ocorrências foi Norte/Nordeste (Joinville) com 942, seguida pelo Vale do Rio Itajaí (Blumenau) com 882, Grande Florianópolis com 852 e Sul (Criciúma) com 703. Entre os principais casos clínicos estão os cardiovasculares, neurológicos e gastrointestinais.

pascoa 2

 

O superintendente de Urgência e Emergência da SES, Marcos Fonseca relaciona este aumento nos números de atendimentos a grande procura de turistas que se direcionam para Santa Catarina. “Os números não mentem, Santa Catarina tem sido o destino turístico cada vez mais procurado no país e fora dele também. Por isso, os investimentos não param, seja na capacitação constante das equipes, na aquisição de materiais e equipamentos, tanto no atendimento terrestre quanto aéreo”, afirma.

O SAMU catarinense oferece cobertura de atendimento na maior parte do seu território, ganhando destaque entre outros SAMUs do Brasil. No Estado temos 28 Unidades de Suporte Avançado (USA), 97 Unidades de Suporte Básico, 02 helicópteros (asa rotativa) e 01 avião (asa fixa) e mais recentemente foram implantadas 03 motolâncias. “Quando o assunto é urgência e emergência temos que garantir o acesso rápido do usuário ao serviço, com menor tempo possível. Acreditamos que a educação continuada da população quanto ao uso desse serviço é a melhor forma de otimizar a entrega da assistência em situações reais de emergência”, reforça o superintendente.

O Serviço segue em busca de contínuas melhorias e, a atual gestão do Governo do Estado está trabalhando na ampliação e renovação frota adquirindo novas USAs, USBs e mais motolâncias para garantir qualidade e agilidade durante todo o processo de atendimento, até o encaminhamento do paciente aos hospitais referenciados.

SAMU DE SANTA CATARINA ATENDE MAIS DE 67 MIL OCORRÊNCIAS DURANTE A ESTAÇÃO VERÃO

O verão terminou e com ele chegou ao fim a operação do Governo Estação Verão, com ações e esforços conjuntos para otimizar os trabalhos do Estado durante a temporada. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) também participou da iniciativa e organizou suas equipes e trabalhos para atender de forma mais eficiente e ágil os turistas e a população.

WhatsApp Image 2024 01 26 at 15.49.08

Entre os dias 16 de dezembro de 2023 e 16 de março deste ano, o SAMU atendeu 67.864 ocorrências. A região que teve mais ocorrências foi a Grande Florianópolis, com 20.573; seguida pela Norte/Nordeste (Joinville), com 19.242; Sul (Criciúma), com 15.315; Foz do Rio Itajaí (Camboriú), com 12.734. Entre os principais casos clínicos estão os cardiovasculares e neurológicos.

Durante o verão, um dos destinos mais procurados pelos turistas foi o litoral catarinense, principalmente na da Foz do Rio Itajaí. Para reforçar o atendimento na região, o SAMU de Itapema trabalhou com mais uma Unidade de Suporte Avançado (USA). A equipe, composta por enfermeiro, condutor socorrista e médico, prestará o serviço até o final de março de 2024. Além disso, a Central de Regulação de Urgências da macrorregião, passou a contar com mais um profissional médico em cada período, ou seja, com quatro médicos reguladores a mais.

Para expandir ainda mais a cobertura do SAMU no litoral, a Secretaria da Saúde inaugurou em dezembro, uma nova USA em Navegantes. O investimento ampliou o atendimento na alta temporada com a contratação de 11 médicos, cinco enfermeiros e oito condutores/socorristas.

“Seguimos de prontidão e à disposição de toda população catarinense e visitantes em nosso Estado. Estes números demonstram a importância do serviço de atendimento móvel de urgência para acesso aos serviços de saúde no tempo e local certo. Para isso, contamos com a auxílio do nosso núcleo de educação em urgência, redes sociais da Secretaria de Estado da Saúde e do Governo do Estado, pois estamos cada dia mais próximos da população catarinense, ampliando a oferta de serviços através de novas ambulâncias, motolâncias e incremento de médicos reguladores junto às Centrais, pelo número de telefone 192”, ressalta Marcos Antonio Fonseca, Superintendente Urgência e Emergência.

Todo o litoral catarinense conta com aproximadamente 71 equipes, entre Unidades de Suporte Básico (USB) e de Suporte Avançado (USA). Os profissionais atuam com viaturas, ambulâncias, motolâncias e aeronaves para salvar vidas e dar assistência necessária aos atendimentos de urgência e emergência.

 

Daniela Melo

Assessoria de Comunicação 

SAMU Santa Catarina

Secretária de Estado da Saúde inaugura nova base da Unidade de Suporte Avançado do SAMU em Palhoça

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) inaugurou nesta sexta-feira,15, a nova base da Unidade de Suporte Avançado (USA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Palhoça. Com investimento de cerca de R$ 450 mil, o imóvel passou por reformas, ampliação da infraestrutura e melhorias no mobiliário, além de adequações para atender aos novos padrões exigidos pelo Ministério da Saúde e ANVISA.

nova base samu palhoca

A secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto, considerou que nova sede representa um avanço, tanto para garantir melhor atendimento à população, quanto para oferecer mais condições de trabalho para as equipes do SAMU. “Este ofício é de extrema importância, pois todos os dias várias vidas são salvas. Por isso, o governador Jorginho Mello se esforça para fortalecer o serviço e sempre dar melhor ambiente de trabalho”, ressaltou a secretária.

Ela também comentou que duas ambulâncias serão substituídas para proporcionar a segurança necessária aos profissionais e aos pacientes, e duas motolâncias vão integrar a frota para chegar mais rápido no atendimento, na Grande Florianópolis. “Além disso, em breve duas aeronaves estarão disponíveis no estado. Uma na Capital catarinense e outra no Meio Oeste para atender o Planalto Serrano e o Extremo Oeste e com isso diminuir o tempo de deslocamento das nossas equipes”, informa Carmen.

“Nós trabalhamos incansavelmente para fazer o mapeamento de todo o estado e para saber a necessidade de cada equipe. A entrega e uma nova base representa um reconhecimento do nosso trabalho e uma garantia da qualidade em dar assistência prestada no serviço de urgência e emergência. Só neste primeiro trimestre a USA de Palhoça já atendeu mais de 250 ocorrências, por isso se faz a necessidade do equipamento na cidade”, destacou o Superintendente de Urgência e Emergência, Marcos Antônio Fonseca.

Hoje Santa Catarina conta com 27 Unidades de Suporte Avançado(USAs). Sendo duas em Florianópolis, uma em São José e outra na Palhoça. Já as Unidades de Suporte Básico (USBs) são 20 na Grande Florianópolis.

Mais informações para a imprensa:
Daniela Mello
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde

SAMU DE SANTA CATARINA TEM REDUÇÃO DE 47% NO NÚMERO DE TROTES NO SEGUNDO SEMESTRE DE 2023

A Central de Regulação de Emergência (CRU) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) recebeu 7.341 ligações classificadas como falsas emergências, no segundo semestre de 2023. Se comparado ao primeiro semestre do mesmo ano, quando foram registrados 13.800 ligações, teve uma redução de 47%. As cidades que tem menos registros de trotes são Joaçaba, Lages e Chapecó.

TROTE

Os números confirmam que os trotes diminuíram devido as intensificações das ações e propagandas educativas divulgadas pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde. O programa EducaSAMU, por exemplo, já contemplou mais de 42 mil alunos, do Ensino Fundamental I e II e Ensino Médios, de 343 instituições, em 2023. O programa possui pedagogas nas oito macrorregiões de saúde, as quais realizam visitas nas escolas palestrando sobre os riscos do trote, acionamento correto do SAMU ao ligar o número 192, e sinais iniciais de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e Infarto Agudo do Miocárdio (IAM).

Apesar da diminuição dos trotes, o SAMU catarinense segue alertando a população, que este tipo de brincadeira pode custar a vida de uma pessoa, além de prejudicar o trabalho dos profissionais envolvidos. “Congestionar a linha telefônica ou encaminhar uma ambulância para uma falsa solicitação de emergência, diminui o recurso disponível e atrasa o socorro a quem de fato precisa”, ressalta Marcos Antônio Fonseca, Superintendente de Urgência e Emergência.

Passar trotes aos serviços de emergência é um crime previsto pelo artigo 266, do Código Penal Brasileiro, e o infrator pode pegar de um a seis meses de detenção. Além disso, crianças e adolescentes também podem ser punidos. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), esse tipo de ligação é um ato infracional gravíssimo e quem o comete deve ser encaminhado para a Vara da Infância e da Juventude para que sejam aplicadas as medidas socioeducativas.

“Os trotes consomem recursos valiosos, como tempo, dinheiro e equipamentos médicos, que poderiam ser direcionados para situações reais de emergência”, explica Dionísio Medeiros, diretor do Atendimento Pré-Hospitalar Móvel. Dionisio destaca que enquanto as equipes estão ocupadas com trotes, alguém com uma emergência médica real pode não receber a assistência necessária a tempo, aumentando o risco de complicações graves ou até mesmo de morte.

Mais informações para a imprensa:
Daniela Mello
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde

SAMU ALERTA SOBRE OS CUIDADOS NECESSÁRIOS PARA FAZER TRILHAS DE DIFÍCIL ACESSO

Durante o verão em Santa Catarina, moradores e turistas buscam se aventurar fazendo trilhas em montanhas, morros e cachoeiras. No entanto, é sempre importante observar alguns cuidados para evitar acidentes ou até mesmo o risco de vida. Para garantir a segurança do aventureiro, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), dá algumas dicas para que o passeio seja seguro e divertido.

Antes de iniciar a trilha, o ideal é fazer um estudo prévio do lugar que deseja ir, como condições climáticas, distâncias e grau de dificuldades. Além disso, é preciso ficar atento se você bem de saúde e respeitar as limitações do corpo. Outro detalhe importante é comunicar seus planos a alguém de confiança, caso aconteça algum imprevisto, essa pessoa pode ajudar a chamar o socorro.

114

O equipamento também tem que ser levado em consideração. É necessário usar calçados apropriados, roupas de proteção contra as condições climáticas, suprimentos de emergência, água, comida, mapa e bússola ou GPS. Ter conhecimento básico de primeiros socorros e saber como agir em caso de emergência, é um grande diferencial. Por isso, a importância de carregar um kit de primeiros socorros.

“Tem muita gente fazendo trilhas sem o devido planejamento e ou desacompanhados. Temos registro de várias ocorrências de pessoas que sofreram mal súbito por falta de condicionamento físico, ou por se exporem ao clima. Casos de pessoas que levam animais e crianças, sem água e alimento e se perdem, o que potencializa um acidente. Nossas estatísticas mostram que nos finais de semana temos feito diversos resgates em trilhas de difícil acesso”, ressalta Marcos Antônio Fonseca, Superintendente de Urgência e Emergência.

Para Marcos seguir regras de segurança básicas evita muitos problemas. Tais como não se aventurar sozinho, manter-se na trilha escolhida, respeitar os limites de velocidade em terrenos íngremes e rochosos, e evitar caminhar durante condições climáticas extremas. Ele também aconselha ligar para o número 192, caso haja um acidente. Em áreas sem cobertura de celular, considere o uso de dispositivos de comunicação via satélite ou rádio.
Essas são algumas das precauções básicas que o SAMU alerta aos praticantes de trilhas de difícil acesso. Seguir essas orientações pode ajudar a garantir uma experiência segura e agradável ao ar livre.

 

Daniela Melo

Assessoria de Comunicação 

SAMU Santa Catarina

 

GOVERNO DO ESTADO AUTORIZA A COMPRA DE DEZ MOTOLÂNCIAS PARA AGILIZAR OS ATENDIMENTOS PELO ESTADO

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) tem apresentado ótimos resultados com a diminuição do tempo-resposta nos atendimentos realizados pelas motolâncias em Itapema e Balneário Camboriú. A experiência com o serviço deu tão certo, que o Governador Jorginho Mello já autorizou a aquisição de dez motolâncias para serem distribuídas a outros municípios catarinenses.

motolancia

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) irá investir aproximadamente R$300 mil na compra das motocicletas. As primeiras unidades serão destinadas a Florianópolis e Palhoça.

“Em diversas partes do mundo, estudos mostram a redução da mortalidade tanto em eventos decorrentes de trauma quanto de causas clínicas, em decorrência do atendimento pré-hospitalar com menor tempo-resposta, e as motolâncias ajudam nesse processo”, explica Dionísio Medeiros, diretor do Atendimento Pré-hospitalar (APH) Móvel. Além disso, Dionísio ressalta que o atendimento rápido ao paciente diminui as sequelas, as complicações, o tempo de internação, assim como o custo total do tratamento.

As motolâncias estão equipadas com materiais e equipamentos de primeiros socorros, como desfibriladores, materiais para controle de hemorragias, equipamentos para suporte básico de vida e outros suprimentos médicos. As motos servem como apoio das Unidades de Suporte Básico (USB) e das de Suporte Avançado (USA).

O veículo é pilotado por um técnico de enfermagem, que realiza o socorro rápido, antes da chegada das ambulâncias. Também, caso necessário, garante o atendimento pré-hospitalar imediato no momento de maior complexidade e estabilização da vítima.  

Ampliação das motolâncias

Os secretários Municipais de Saúde que têm interesse em implantar as motolâncias, deverão efetuar o pedido através de um ofício com anuência do prefeito, para a Superintendência de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde (SUE/SES), para efetivar o processo. Antes da ampliação do serviço será realizado um estudo de viabilidade, com detalhamento técnico, para ter conhecimento se é possível realizar o serviço na localidade. Além disso, vale ressaltar que os municípios deverão ter Unidade de Suporte Básico (USB) ou Unidade de Suporte Avançado (USA) ativos para a viabilização das motolâncias.

 

Daniela Melo

Assessora de Comunicação do SAMU SC

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SEGUE PREPARANDO PROFISSIONAIS PARA ATENDER CASOS DE DENGUE

O número de casos de dengue vem aumentando expressivamente em Santa Catarina nos últimos anos. Por isso, a Secretária de Estado da Saúde por meio da Superintendência de Urgência e Emergência realizou uma web aula para todos os profissionais da saúde com o objetivo de apresentar o cenário epidemiológico, diagnosticar e intervir precocemente, tratar adequadamente e orientar os pacientes.

 

dengue

 

O principal papel da rede de urgência e emergência frente a doença é evitar o óbito, pois a dengue pode evoluir rapidamente para casos graves, especialmente se não for identificada e tratada precocemente.


“A dengue é uma doença infecciosa, endêmica (calor e chuva), aguda, sistêmica e dinâmica, que pode apresentar um amplo espectro clínico e variar de casos assintomáticos a graves, podendo evoluir à óbito”, explica o médico Antônio Augusto de Santana, infectologista e intervencionista do SAMU.


De acordo com os dados apresentados por Antônio Augusto durante a aula, em relação aos óbitos em Santa Catarina, em 2016 tivemos dois óbitos, 2022: 90 óbitos, 2023: 98 óbitos. Quanto ao perfil dos óbitos a incidência ocorre no sexo masculino acima dos 60 anos e feminino acima dos 30 anos. As comorbidades mais frequentes entre os óbitos de dengue, independente de grupos etários, foram a hipertensão e o diabetes.


A doença pode ser assintomática ou pode evoluir até quadros mais graves, como hemorragia e choque. Na chamada dengue clássica, que deve ser notificada, a primeira manifestação é febre alta (39° a 40°C) e de início abrupto, usualmente seguida de dor de cabeça ou nos olhos, cansaço ou dores musculares e ósseas, falta de apetite, náuseas, tonteiras, vômitos e erupções na pele (semelhantes à rubéola), que pode durar de cinco a sete dias (máximo de 10).


“O tratamento é realizado a base de analgésicos e antitérmicos e pode ser feito no domicílio, com orientação para retorno ao serviço de saúde. Também são indicados hidratação oral com aumento da ingestão de água, sucos, chás e soros caseiros”, ressalta o infectologista Antônio Augusto.


Ele destaca que não devem ser usados medicamentos com derivados do ácido acetilsalicílico (AAS) e anti-inflamatórios derivados, por aumentar o risco de hemorragias. No que se refere à dengue hemorrágica, o tratamento é realizado a partir de internação hospitalar do paciente.


Nos casos graves, o choque geralmente ocorre entre o terceiro e o sétimo dia de doença, geralmente precedido por dor abdominal. O choque é decorrente do aumento de permeabilidade vascular, seguida de hemoconcentração e falência circulatória.


A dengue hemorrágica não tem relação com a baixa imunidade do organismo infectado. As formas mais graves poderiam estar associadas a uma “excessiva” resposta imunológica do organismo ao vírus, causando uma espécie de hipersensibilidade que acarretaria na produção de substâncias responsáveis pelo aumento da permeabilidade vascular.

 

Daniela Melo

Assessora de Comunicação SAMU